Cantinho da Laranja Lima



Mas o coração bate.
O amor inexplicável faz o coração bater mais depressa.
A garantia única é que eu nasci.
Tu és uma forma de ser eu, e eu uma forma de te ser…

Clarice Lispector

<BGSOUND SRC="http://www.sublimessounds.com.br/sound/Maria_Bethania_-_Estado_de_poesia.mid">

Você...
Você é tudo o que eu queria...
Tudo o que anseio que a ilusão me dê...
O meu sonho de amor de todo dia
Que nos meus olhos úmidos se lê...
Minha felicidade fugidia,
O meu sonho é você...

Saramago

Mergulhe no meio das coisas, suje as mãos, caia de joelhos e só então procure alcançar as estrelas.

John L. Curcio

Salve meu Pai Oxalá. Senhor do branco, Pai da luz. Senhor absoluto do universo, toda criação te saúda... êpa babá, Pai da misericórdia. Daí-me, Senhor , a paz, o vigor e o rumo dos meus caminhos. Oxalá, meu Senhor, faz minha casa feliz e daí-me as bênçãos da propriedade. Obrigado meu Deus, meu Senhor, meu Pai. ÊPA BABÁ!

Quanto a mim tenho que lhes dizer que as estrelas são os olhos de Deus vigiando para que tudo corra bem.
Para sempre. E, como se sabe, para sempre não acaba nunca.

Clarice Lispector

Ensinarás a voar…
mas não voarás
o teu voo.
Ensinarás a sonhar…
mas não sonharão
o teu sonho.
Ensinarás a viver…
mas não viverão
a tua vida.
Ensinarás a cantar…
mas não cantarão
a tua canção.
Ensinarás a pensar
mas não pensarão
como tu.
Porém,saberás que cada
vez que voem,
sonhem,vivam, cantem
e pensem…
estará a semente
do caminho
ensinado e aprendido.

Madre Teresa de Calcutá

Lembrete

Sempre estremeço ante a poesia.
A amendoeira, os pássaros, o bosquezinho onde você está, as flores que você não vê, a janela aberta sobre a qual eu me debruço
e sonho que você está encostado em meu ombro, as vezes em que sua fotografia parece triste.
Mas quero escrever, sobretudo eu quero escrever uma espécie de longa elegia para você.
Talvez não em poesia. Nem em prosa, talvez.
Quase com certeza num tipo de prosa especial.
E, por fim, quero manter caderno de notas para ser publicado algum dia. Só isso. Nem novelas, nem histórias de problemas, nada que não seja simples e transparente. KM

A gente queria ficar apertado assim porque nos completávamos desse jeito, o corpo de um sendo a metade perdida do corpo do outro.

Caio Fernando Abreu

E trancafiamos em algum porão, tanto a nossa essência como as lentes do Amor que nos fazem compreender o outro além de um sorriso ensaiado.

Gabriel Chalita

Construo a tua boca sem palavras,
Construo esse silêncio em que me prendo,
Desenho a tua fronte nas estrelas.

João Rui de Souza

Amor é ver-te chegar num eco de ave e deixar que me prendas com o teu gesto mais suave, sentir-te só, ao pé de mim e sentir-me tão só, longe de ti...

Nuno Júdice

Aquele que amo
Disse-me
Que precisa de mim.
Por isso
Cuido de mim.
Olho meu caminho
E receio ser morta
Por uma só gota de chuva.

Bertold Brecht

... Então, de todo Amor não terminado seremos pagos
Em inumeráveis noites de estrelas.

Maiakovski

Hei de
saber o
Amor à
tua maneira.
Me queimo
em sonhos,
tocando
estrelas.


Hilda Hilst

É o Amor que enfeita a Natureza com seus ricos tapetes. Ele se enfeita e fixa sua morada onde encontra flores e perfumes. É ainda o amor que dá a paz aos homens, a calma ao mar, o silêncio aos ventos e o descanso à dor. Platão

Tudo está ligado, como o sangue que une uma família.
Todas as coisas estão ligadas.
O que acontece à Terra recai sobre os filhos da Terra.
Não foi o homem que teceu a trama da vida.
Ele é só um fio dentro dela.
Tudo o que ele fizer à teia estará fazendo a si mesmo.

Chefe Seattle (1856)

Ave da Esperança

Passo a noite a sonhar o amanhecer.
Sou a ave da esperança.
Pássaro triste que na luz do sol
Aquece as alegrias do futuro,
O tempo que há-de vir sem este muro
De silêncio e negrura
A cercá-lo de medo e de espessura
Maciça e tumular;
O tempo que há-de vir - esse desejo
Com asas, primavera e liberdade;
Tempo que ninguém há-de
Corromper
Com palavras de amor, que são a morte
Antes de se morrer.

Miguel Torga


Só peço a Deus

Só peço a Deus
Que a dor não me seja indiferente
Que a seca morte não me encontre
Vazio e só sem haver feito o suficiente.

Só peço a Deus
Que o injusto não me seja indiferente
Que não me esbofeteiem a outra face
Depois que uma garra me arranhou esta sorte.

Só peço a Deus
Que a guerra não me seja indiferente
É um monstro grande e pisa forte
Toda a pobre inocência das pessoas.

Só peço a Deus
Que o engano não me seja indiferente
Se um traidor pode mais que uns tantos
Esses tantos não esqueçam facilmente.

Só peço a Deus
Que o futuro não seja indiferente
Desesperançoso estão que tem que marchar
A viver uma cultura diferente.

Só peço a Deus
Que a guerra não me seja indiferente
É um monstro grande e pisa forte
Toda a pobre inocência das pessoas.

Leon Gieco

minhas visitas...

 




eXTReMe Tracker


 

meus arquivos...

- 01/12/2016 a 31/12/2016
- 01/11/2016 a 30/11/2016
- 01/03/2016 a 31/03/2016
- 01/06/2015 a 30/06/2015
- 01/12/2014 a 31/12/2014
- 01/10/2014 a 31/10/2014
- 01/05/2014 a 31/05/2014
- 01/03/2014 a 31/03/2014
- 01/02/2014 a 28/02/2014
- 01/11/2013 a 30/11/2013
- 01/07/2013 a 31/07/2013
- 01/05/2013 a 31/05/2013
- 01/03/2013 a 31/03/2013
- 01/02/2013 a 28/02/2013
- 01/12/2012 a 31/12/2012
- 01/11/2012 a 30/11/2012
- 01/09/2012 a 30/09/2012
- 01/07/2012 a 31/07/2012
- 01/06/2012 a 30/06/2012
- 01/05/2012 a 31/05/2012
- 01/03/2012 a 31/03/2012
- 01/02/2012 a 29/02/2012
- 01/12/2011 a 31/12/2011
- 01/11/2011 a 30/11/2011
- 01/09/2011 a 30/09/2011
- 01/08/2011 a 31/08/2011
- 01/07/2011 a 31/07/2011
- 01/05/2011 a 31/05/2011
- 01/04/2011 a 30/04/2011
- 01/02/2011 a 28/02/2011
- 01/01/2011 a 31/01/2011
- 01/12/2010 a 31/12/2010
- 01/11/2010 a 30/11/2010
- 01/10/2010 a 31/10/2010
- 01/08/2010 a 31/08/2010
- 01/07/2010 a 31/07/2010
- 01/05/2010 a 31/05/2010
- 01/03/2010 a 31/03/2010
- 01/02/2010 a 28/02/2010
- 01/01/2010 a 31/01/2010
- 01/12/2009 a 31/12/2009
- 01/11/2009 a 30/11/2009
- 01/10/2009 a 31/10/2009
- 01/09/2009 a 30/09/2009
- 01/08/2009 a 31/08/2009
- 01/07/2009 a 31/07/2009
- 01/06/2009 a 30/06/2009
- 01/05/2009 a 31/05/2009
- 01/04/2009 a 30/04/2009
- 01/03/2009 a 31/03/2009
- 01/02/2009 a 28/02/2009
- 01/01/2009 a 31/01/2009
- 01/12/2008 a 31/12/2008
- 01/11/2008 a 30/11/2008
- 01/10/2008 a 31/10/2008
- 01/09/2008 a 30/09/2008
- 01/08/2008 a 31/08/2008
- 01/07/2008 a 31/07/2008
- 01/06/2008 a 30/06/2008
- 01/05/2008 a 31/05/2008
- 01/04/2008 a 30/04/2008
- 01/03/2008 a 31/03/2008
- 01/02/2008 a 29/02/2008
- 01/01/2008 a 31/01/2008
- 01/12/2007 a 31/12/2007
- 01/11/2007 a 30/11/2007
- 01/10/2007 a 31/10/2007
- 01/09/2007 a 30/09/2007
- 01/08/2007 a 31/08/2007
- 01/07/2007 a 31/07/2007
- 01/06/2007 a 30/06/2007
- 01/05/2007 a 31/05/2007
- 01/04/2007 a 30/04/2007
- 01/03/2007 a 31/03/2007
- 01/02/2007 a 28/02/2007
- 01/01/2007 a 31/01/2007
- 01/12/2006 a 31/12/2006
- 01/11/2006 a 30/11/2006
- 01/10/2006 a 31/10/2006
- 01/09/2006 a 30/09/2006
- 01/05/2006 a 31/05/2006
- 01/04/2006 a 30/04/2006
- 01/03/2006 a 31/03/2006
- 01/02/2006 a 28/02/2006
- 01/01/2006 a 31/01/2006
- 01/12/2005 a 31/12/2005
- 01/11/2005 a 30/11/2005
- 01/10/2005 a 31/10/2005
- 01/09/2005 a 30/09/2005

onde vou...

- Eliane Alcantara
- Ela Nua é Linda-L.A.M
- Fellings and Dreams
- Lique...pt
- Linaldo...Zumbi..
- Oceanos e Desertos
- Mariza Lourenço
- Pretensos Colóquios
- Ser sómente mulher
- Sensualidade e Atualidade
- Sesmarias.Bugra.
- Tabua de Marés
- Voando pelo céu da boca

Antes de seres
Só havia céu e vento
E a vida era lisa e passava.
Só o vento, feito brisa, me sussurrava
O teu nome.
E eu não o entendia.
Porque era tempo de céu e vento,
De vida lisa, dia a dia,
Sem sonhos de terra
E de pés para caminhar.
Quando a meus olhos
Sólido e concreto te tornaste,
Quando de ti soube o nome
E o tocar,
Não mais a vida foi lisa
Tempo breve.
E sonhei caminhos e terra
E corpo para chegar.

Encandescente

O amor é a coisa mais alegre.
O amor é a coisa mais triste.
O amor é a coisa que mais quero.
Aquilo que a memória amou fica eterno.

Adelia Prado

*

Saudade é o revés de um parto. Saudade é arrumar o quarto do filho que já morreu...

Chico Buarque

*

Gostar é provavelmente a melhor maneira de ter,
ter deve ser a pior maneira de gostar.

Jose Saramago

*

Amor é dado de graça, é semeado no vento, na cachoeira, no eclípse...

A conquista da liberdade é algo que faz tanta poeira, que por medo da bagunça, preferimos, normalmente, optar pela arrumação.

Carlos Drummond de Andrade

*

A vida é a arte do encontro. Embora haja tanto desencontro pela vida.

"...que não seja eterno, posto que é chama,
mas, que seja imortal, infinito, enquanto dure..."

Vinícius de Morais

*

Caminhante, tuas pegadas
são o caminho, nada mais.
Caminhante, não há caminhos,
faz-se o caminho ao andar.

Antônio Machado

*

O sábio espera tudo de si mesmo. O homem espera dos outros.

Confúcio

*

Não se preocupe em entender! Viver ultrapassa todo entendimento.

Clarice Lispector

*

Cansei de ser moderno. quero ser eterno.

Picasso

*

O impossível é o possível que nunca foi tentado. Chega quem caminha!.

Charles Chaplin

*

Temos sentido muito pouca alegria. Este somente, é o nosso pecado original.

Nietzche

*

A única diferença entre um louco e eu, é que eu não sou louco.

Quando pinto, marulha o mar. Os outros chapinham na água da banheira.

O desejo de sobreviver e o medo perante a morte, são emoções próprias do artista.

As duas maiores felicidades que podem suceder a um pintor são:
- ser espanhol,
- chamar-se Dalí.

Salvador Dalí

*

A alma é uma paisagem. As paisagens da alma não podem ser comunicadas. Quanto mais fundo entramos nas paisagens da alma, mais silenciosos ficamos.

A exuberância do conhecimento científico vai, frequentemente, lado a lado com uma total penúria de sabedoria.

Rubem Alves

*

"...e o fim de vossa viagem será chegar ao lugar de onde
partimos. E conhecê-lo então pela primeira vez".

T. S. Eliot

Poema Do Menino Jesus

Fernando Pessoa

Num meio-dia de fim de primavera eu tive um sonho como
uma fotografia: eu vi Jesus Cristo descer à Terra.
Ele veio pela encosta de um monte, mas era outra vez
menino, a correr e a rolar-se pela erva
A arrancar flores para deitar fora, e a rir de modo a
ouvir-se de longe.
Ele tinha fugido do céu. Era nosso demais pra
fingir-se de Segunda pessoa da Trindade.
Um dia que DEUS estava dormindo e o Espírito Santo
andava a voar, Ele foi até a caixa dos milagres e
roubou três.
Com o primeiro Ele fez com que ninguém soubesse que
Ele tinha fugido; com o segundo Ele se criou
eternamente humano e menino; e com o terceiro Ele
criou um Cristo eternamente na cruz e deixou-o pregado
na cruz que há no céu e serve de modelo às outras.
Depois Ele fugiu para o Sol e desceu pelo primeiro
raio que apanhou.
Hoje Ele vive na minha aldeia, comigo. É uma criança
bonita, de riso natural.
Limpa o nariz com o braço direito, chapinha nas poças
d'água, colhe as flores, gosta delas, esquece.
Atira pedras aos burros, colhe as frutas nos pomares,
e foge a chorar e a gritar dos cães.
Só porque sabe que elas não gostam, e toda gente acha
graça, Ele corre atrás das raparigas que levam as
bilhas na cabeça e levanta-lhes a saia.
A mim, Ele me ensinou tudo. Ele me ensinou a olhar
para as coisas. Ele me aponta todas as cores que há
nas flores e me mostra como as pedras são engraçadas
quando a gente as tem na mão e olha devagar para
elas.
Damo-nos tão bem um com o outro na companhia de tudo
que nunca pensamos um no outro. Vivemos juntos os dois
com um acordo íntimo, como a mão direita e a esquerda.
Ao anoitecer nós brincamos as cinco pedrinhas no
degrau da porta de casa. Graves, como convém a um DEUS
e a um poeta. Como se cada pedra fosse todo o Universo
e fosse por isso um perigo muito grande deixá-la cair
no chão.
Depois eu lhe conto histórias das coisas só dos
homens. E Ele sorri, porque tudo é incrível. Ele ri
dos reis e dos que não são reis. E tem pena de ouvir
falar das guerras e dos comércios.
Depois Ele adormece e eu o levo no colo para dentro da
minha casa, deito-o na minha cama, despindo-o
lentamente, como seguindo um ritual todo humano e todo
materno até Ele estar nu.
Ele dorme dentro da minha alma. Às vezes Ele acorda de
noite, brinca com meus sonhos. Vira uns de perna pro ar,
põe uns por cima dos outros, e bate palmas, sozinho,
sorrindo para os meus sonhos.
Quando eu morrer, Filhinho, seja eu a criança, o mais
pequeno, pega-me Tu ao colo, leva-me para dentro a Tua
casa. Deita-me na tua cama. Despe o meu ser, cansado e
humano. Conta-me histórias caso eu acorde para eu
tornar a adormecer, e dá-me sonhos teus para eu
brincar.

Dois de fevereiro

Dorival Caymmi

Dia dois de fevereiro
Dia de festa no mar
Eu quero ser o primeiro
Pra salvar Iemanjá
Dia dois de fevereiro
Dia de festa no mar
Eu quero ser o primeiro
Pra salvar Iemanjá

Escrevi um bilhete a ela
Pedindo pra ela me ajudar
Ela então me respondeu
Que eu tivesse paciência de esperar
O presente que eu mandei pra ela
De cravos e rosas vingou
Chegou, chegou, chegou
Afinal que o dia dela chegou
Chegou, chegou, chegou
Afinal que o dia dela chegou

Quanto nome tem a Rainha do Mar?
Quanto nome tem a Rainha do Mar?

Dandalunda, Janaína,
Marabô, Princesa de Aiocá,
Inaê, Sereia, Mucunã,
Maria, Dona Iemanjá.

Onde ela vive?
Onde ela mora?

Nas águas,
Na loca de pedra,
Num palácio encantado,
No fundo do mar.

O que ela gosta?
O que ela adora?

Perfume,
Flor, espelho e pente
Toda sorte de presente
Pra ela se enfeitar.

Como se saúda a Rainha do Mar?
Como se saúda a Rainha do Mar?

Alodê, Odofiaba,
Minha-mãe, Mãe-d'água,
Odoyá!

Qual é seu dia,
Nossa Senhora?

É dia dois de fevereiro
Quando na beira da praia
Eu vou me abençoar.

O que ela canta?
Por que ela chora?

Só canta cantiga bonita
Chora quando fica aflita
Se você chorar.

Quem é que já viu a Rainha do Mar?
Quem é que já viu a Rainha do Mar?

Pescador e marinheiro
que escuta a sereia cantar
é com o povo que é praiero
que dona Iemanjá quer se casar.

Maria Bethânia

Quadras...

Vai alta a nuvem que passa.
Vai alto o meu pensamento
Que é escravo da tua graça
Como a nuvem o é do vento.

*

As gaivotas, tantas, tantas,
Voam no rio que é o mar…
Também sem querer encantas,
Nem é preciso voar.

*

Todos os dias que passam
Sem passares por aqui
São dias em que só passa
O estar a esperar-te a ti.

*

Tenho um livrinho onde escrevo
O que me lembro de ti.
Esse livro é o meu enlevo
Ainda lá nada escrevi.

*

Leve vem a onda breve
Que se estende a adormecer,
Breve vem a onda leve
Que nos ensina a esquecer.

*

Tenho um segredo a dizer-te
Que não te posso dizer.
E com isto já t’o disse
Estavas farta de o saber…

*

Compreender um ao outro
É um jogo complicado,
Pois não sabe quem engana
Se não estará enganado.

*

Quando compões o cabelo
Com a tua mão distraída,
Fazes-me um novelo
No pensamento da vida.

*

Teus olhos de quem fita –
Vagueiam, ‘stão na distância.
Se não fosses tão bonita
Isso não tinha importância.

*

Toda a noite, toda a noite,
Toda a noite sem pensar…
Toda a noite sem dormir
E sem tudo isso acabar…

*

Tenho uma pena que escreve
Aquilo que eu sempre sinta.
Se é mentira, escreve leve.
Se é verdade, não tem tinta.

*

Teus olhos poisam no chão
Para não me olhar de frente.
Tens vontade de sorrir
Ou de rir? É tão diferente.

Fernando Pessoa

Oração a São Expedito

Meu Santo Expedito das causas justas e urgentes interceda por mim junto ao Nosso Senhor Jesus Cristo, socorra-me nesta hora de aflição e desespero, meu Santo Expedito Vós que sois um Santo guerreiro, Vós que sois o Santo dos aflitos, Vós que sois o Santo dos desesperados, Vós que sois o Santo das causas urgentes, proteja-me. Ajuda-me, Dai-me força, coragem e serenidade. Atenda meu pedido (Fazer o pedido). Meu Santo Expedito! Ajuda-me a superar estas horas difíceis, proteja de todos que possam me prejudicar, proteja minha família, atenda ao meu pedido com urgência. Devolva-me a paz e a tranqüilidade. Meu Santo Expedito! Serei grato pelo resto de minha vida e levarei seu nome a todos que têm fé.

Muito obrigado.

(Rezar 1 Pai Nosso, 1 Ave Maria e fazer o sinal da cruz)





Bom..não li ainda nada mais lindo e maravilhoso,que Drummond,
para dizer a vocês tudo que lhes desejo nesse Ano que começou..tenham meu carinho sempre..beijos..

"Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias,
a que se deu o nome de ano, foi um indivíduo genial.
Industrializou a esperança,
fazendo-a funcionar no limite da exaustão.
Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar
e entregar os pontos. Aí, entra o milagre da renovação
e tudo começa outra vez, com outro número,
e outra vontade de acreditar que daqui
para diante vai ser diferente."
("A genial idéia de fatiar o tempo"-Carlos Drummond de Andrade)

 


Receita de ano novo

Para você ganhar belíssimo Ano Novo
cor do arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido
(mal vivido talvez ou sem sentido)
para você ganhar um ano
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser;
novo
até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)
novo, espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come, se passeia,
se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
não precisa expedir nem receber mensagens
(planta recebe mensagens?
passa telegramas?)
 

Não precisa
fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar arrependido
pelas besteiras consumidas
nem parvamente acreditar
que por decreto de esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados, começando
pelo direito augusto de viver.
 

Para ganhar um Ano Novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.

Feliz Ano Novoooooo!!!!!!!!!!!



por £ä£¡






 

que essa melodia que é o Natal toque os corações dos governantes de nossa amada Terra...

desejo a todos um Natal maravilhoso com muito amor ..saúde e paz...nesse Natal no Ano que vai começar e em todos os outros dias de nossas vidas....beijos de £a£i

POEMINHO

Neste Natal
Afinal
Vou embrulhar o poema
Numa folha de jornal
Vou deixá-lo assim quentinho
Entre passas e azevinho
Regá-lo com um bom vinho
E chamar-lhe poeminho

Decerto que assim tratado
Ficará mais animado
Quem sabe?...
Mais redondinho

Só então o lançarei
Aos quatro ventos da sorte
Para que não perca o Norte
Nem se engane no caminho

Ao bater à tua porta
Recebe-o com carinho
De mim ele leva um abraço
E o papel de jornal
É só p’ra ficar quentinho

Porque afinal
É Natal
E ele é só um poeminho.

- Jorge Castro
Dezembro de 2004


 Noite Feliz

 
Poema de Natal
 
Vinicius de Moraes

Para isso fomos feitos:
Para lembrar e ser lembrados
Para chorar e fazer chorar
Para enterrar os nossos mortos —
Por isso temos braços longos para os adeuses
Mãos para colher o que foi dado
Dedos para cavar a terra.
Assim será nossa vida:
Uma tarde sempre a esquecer
Uma estrela a se apagar na treva
Um caminho entre dois túmulos —
Por isso precisamos velar
Falar baixo, pisar leve, ver
A noite dormir em silêncio.
Não há muito o que dizer:
Uma canção sobre um berço
Um verso, talvez de amor
Uma prece por quem se vai —
Mas que essa hora não esqueça
E por ela os nossos corações
Se deixem, graves e simples.
Pois para isso fomos feitos:
Para a esperança no milagre
Para a participação da poesia
Para ver a face da morte —
De repente nunca mais esperaremos...
Hoje a noite é jovem; da morte, apenas
Nascemos, imensamente.
 

 e junto com isso..o meu carinho beijos e felicidadesssssssssssss...
 

FELIZ NATAL

que a paz e amor estejam com vocês nesse dia que comemoramos o nascimento de Jesus Cristo...e em todos os outros dias de suas vidas...



por £ä£¡






 

Carícias

Nádya Haua

Ele não é tão límpido
Mas sua beleza é inigualável,
Imponente e majestoso,
Beijava serenamente
A face da mulher amada.
Ela, inerte,
Os carinhos dele aceitava
E foi num leve murmúrio
Que a onda do mar,
A areia beijava. 

Assim eu vejo a vida

Cora Coralina


A vida tem duas faces:
Positiva e negativa
O passado foi duro
mas deixou o seu legado
Saber viver é a grande sabedoria
Que eu possa dignificar
Minha condição de mulher,
Aceitar suas limitações
E me fazer pedra de segurança
dos valores que vão desmoronando.
Nasci em tempos rudes
Aceitei contradições
lutas e pedras
como lições de vida
e delas me sirvo
Aprendi a viver.


Quem Tivesse Um Amor

Cecilia Meireles

 
Quem tivesse um amor, nesta noite de lua,
para pensar um belo pensamento
e pousá-lo no vento!

Quem tivesse um amor - longe, certo e impossível
- para se ver chorando, e gostar de chorar,
e adormecer de lágrimas e luar!

Quem tivesse um amor, e, entre o mar e as estrelas,
partisse por nuvem, dormente e acordado,
levitando apenas, pelo amor levado...

Quem tivesse um amor, sem dúvida nem mácula,
sem antes nem depois: verdade e alegoria..
Ah! quem tivesse...

(Mas, quem teve? quem teria?)


Sonhe

Clarice Lispector

Sonhe com aquilo que você quiser.
Seja o que você quer ser,
porque você possui apenas uma vida
e nela só se tem uma chance
de fazer aquilo que se quer.
Tenha felicidade bastante para fazê-la doce. Dificuldades para fazê-la forte.
Tristeza para fazê-la humana.
E esperança suficiente para fazê-la feliz.
As pessoas mais felizes
não têm as melhores coisas.
Elas sabem fazer o melhor
das oportunidades que aparecem
em seus caminhos.
A felicidade aparece para aqueles que choram.
Para aqueles que se machucam.
Para aqueles que buscam e tentam sempre.
E para aqueles que reconhecem a importância
das pessoas que passam por suas vidas.
O futuro mais brilhante
baseado num passado intensamente vivido.
Você só terá sucesso na vida
quando perdoar os erros
e as decepções do passado.
A vida é curta, mas as emoções que podemos deixar duram uma eternidade.
A vida não é de se brincar
porque um belo dia se morre." 

flores para vocês...

esses são os meus blogs...vistem...

Coisas de £å£i

aqui.... sensualidade

Empório da £årånjå £imå

aqui...lindos contos de Natal

Templates e Imagens Lali

aqui neste blog você encontra gifs e imagens lindas de Natal... 



por £ä£¡






 

Frente a frente

Nada podeis contra o amor,
Contra a cor da folhagem,
contra a carícia da espuma,
contra a luz, nada podeis.

Podeis dar-nos a morte,
a mais vil, isso podeis
- e é tão pouco!

Eugénio de Andrade

 


GOSTO DE VOCÊ

para a Borbolet@ Azul (kinha)

Gosto de gente com a cabeça no lugar,
de conteúdo interno,
idealismo nos olhos
e dois pés no chão da realidade.

Gosto de gente que ri, chora,
se emociona com uma simples carta,
um telefonema ,
uma canção suave,
um bom filme,
um bom livro,
um gesto de carinho,
um abraço de afago.

Gente que ama e curte saudades,
gosta de amigos,
cultiva flores,
ama os animais,
admira paisagens
poeira e escuta.

Gente que tem tempo para sorrir bondade,
semear perdão,
repartir ternura,
compartilhar vivências
e dar espaços para as emoções dentro de si,
emoções que fluem naturalmente de dentro do seu ser.

Gente que gosta de fazer coisas que gosta,
sem fugir dos compromissos difíceis e inadiáveis,
por mais desgastantes que sejam.

Gente que colhe, orienta e se entende,
aconselha, busca a verdade
e quer sempre aprender,
mesmo que seja de uma criança,
de um pobre, de um analfabeto.

Gente de coração desarmado,
sem ódio e preconceitos baratos,
com muito amor dentro de si.

Gente que erra e reconhece,
cai e se levanta,
apanha e assimila os golpes,
tirando lições dos erros
e fazendo redentora suas lágrimas e sofrimentos.

Gosto muito de gente assim...
e você é assim....

Arthur da Távola

"Pedra filosofal"


Eles não sabem que o sonho
é uma constante da vida
tão concreta e definida
como outra coisa qualquer,
como esta pedra cinzenta
em que me sento e descanso,
como este ribeiro manso,
em serenos sobressaltos
como estes pinheiros altos
que em verde e ouro se agitam
como estas aves que gritam
em bebedeiras de azul.

Eles não sabem que o sonho
é vinho, é espuma. é fermento,
bichinho alacre e sedento.
de focinho pontiagudo,
que fossa através de tudo
num perpétuo movimento.

Eles não sabem que o sonho
é tela, é cor, é pincel,
base, fuste, capitel.
arco em ogiva, vitral,
pináculo de catedral,
contraponto, sinfonia,
máscara grega, magia,
que é retorta de alquimista,
mapa do mundo distante,
rosa dos ventos, Infante,
caravela quinhentista,
que é Cabo da Boa Esperança,
ouro, canela, marfim,
florete de espadachim,
bastidor, passo de dança.,
Colombina e Arlequim,
passarola voadora,
para-raios, locomotiva,
barco de proa festiva,
alto-forno, geradora,
cisão do átomo, radar,
ultra som televisão
desembarque em foguetão
na superfície lunar.

Eles não sabem, nem sonham,
que o sonho comanda a vida.
Que sempre que um homem sonha
o mundo pula e avança
como bola colorida
entre a mãos de uma criança.

António Gedeão

tirei desse blog o meu post de hoje..em minhas andanças achei e adorei...

http://painatalforever.blogs.sapo.pt/

esses são os meus blogs....mimos que adoro....visitem..

Coisas de £å£i

sensualidade...

Empório da £årånjå £imå

aqui...lindos contos de Natal

Templates e Imagens Lali

aqui neste blog você encontra gifs e imagens lindas de Natal...

ebaaaaaaaa....amo Dia de Natal....



por £ä£¡






Este foi o nosso último abraço. E quando,
daqui a nada, deixares o chão desta casa
encostarei amorosamente os lábios ao teu copo
para sentir o sabor desse beijo que hoje não
daremos. E então, sim, poderei também eu
partir, sabendo que, afinal, o que tive da vida
foi mais, muito mais, do que mereci.

(Maria do Rosário Pedreira) 

Encontrei o teu nome

Esta manhã encontrei o teu nome nos meus sonhos
e o teu perfume a transpirar na minha pele. E o corpo
doeu-me onde antes os teus dedos foram aves de
verão e a tua boca deixou um rasto de canções.

No abrigo da noite, soubeste ser o vento na minha
camisola; e eu despi-a para ti, a dar-te um coração
que era o resto da vida - como um peixe respira
na rede mais exausta. Nem mesmo à despedida

foram os gestos contundentes: tudo o que vem de ti
é um poema. Contudo, ao acordar, a solidão sulcara
um vale nos cobertores e o meu corpo era de novo
um trilho abandonado na paisagem. Sentei-me na cama

e repeti devagar o teu nome, o nome dos meus sonhos,
mas as sílabas caíam no fim das palavras, a dor esgota
as forças, são frios os batentes nas portas da manhã.

(Maria do Rosário Pedreira)

"Quando eu morrer, não digas a ninguém que foi por ti.
Cobre o meu corpo frio com um desses lençóis
que alagámos de beijos quando eram outras horas
nos relógios do mundo e não havia ainda quem soubesse
de nós; e leva-o depois para junto do mar, onde possa
ser apenas mais um poema - como esses que eu escrevia
assim que a madrugada se encostava aos vidros e eu
tinha medo de me deitar só com a tua sombra. Deixa
que nos meus braços pousem então as aves (que, como eu,
trazem entre as penas a saudades de um verão carregado
de paixões). E planta à minha volta uma fiada de rosas
brancas que chamem pelas abelhas, e um cordão de árvores
que perfurem a noite - porque a morte deve ser clara
como o sal na bainha das ondas, e a cegueira sempre
me assustou (e eu já ceguei de amor, mas não contes
a ninguém que foi por ti). Quando eu morrer, deixa-me
a ver o mar do alto de um rochedo e não chores, nem
toques com os teus lábios a minha boca fria. E promete-me
que rasgas os meus versos em pedaços tão pequenos
como pequenos foram sempre os meus ódios; e que depois
os lanças na solidão de um arquipélago e partes sem olhar
para trás nenhuma vez: se alguém os vir de longe brilhando
na poeira, cuidará que são flores que o vento despiu, estrelas
que se escaparam das trevas, pingos de luz, lágrimas de sol,
ou penas de um anjo que perdeu as asas por amor."

Maria do Rosário Pedreira (O Canto do Vento nos Ciprestes)

Maria do Rosário Pedreira, nasceu em 1959. É poeta, ficcionista, também na área da literatura juvenil e desempenha ainda funções de editora na Temas e Debates. Licenciada em Línguas e Literaturas Modernas, pela Universidade Clássica de Lisboa, foi também professora de Português e Francês. Trabalhou como coordenadora dos serviços editoriais da Gradiva, foi directora de publicações da Sociedade Portugal-Frankurt 97 e editora dos catálogos oficiais temáticos da Expo'98, tal como redactora das brochuras inerentes aos Festivais dos Cem Dias e Mergulho no Futuro, promovidos durante a Expo'98.

http://nescritas.nletras.com/poetasarir/PoetasaRir/archives/2012_02.html
http://www.criticanarede.com/lds_cantovento.html
http://www.astormentas.com/pedreira.htm



por £ä£¡